Monday, September 06, 2010

Falava-se no café de relações. E fiquei a pensar como lido eu com isso? Acho que que cada um age de acordo com a forma como se sente, com as vidas que já teve, com a experiência, com bom senso. Eu procuro ser serena. Não sou de entregas avassaladoras nos primeiros momentos. Não é não gostar, que às vezes também faz falta.
Não sei o que é. É assim. Talvez seja medo. Talvez porque não consigo conceber entregar-me completamente a quem e com quem ainda não construi nada. Passo a passo as coisas fazem muito mais sentido. Porque sou calma, não gosto de pressas. Gosto de saborear... por muito gulosa que seja. Porque quero construir. Porque me preocupo em deixar este mundo um bocadinho melhor do que o encontrei e isso passa por saber gerir os meus afectos e das pessoas que me rodeiam. Porque me entrego e levo algo de novo a quem se cruza comigo. E trago também. Cada pessoa é sempre vista como uma bênção. Mesmo nos maus momentos. Porque, como ensina o Principezinho, torno-me responsável por aquilo que cativo. E à medida que vou crescendo, vivendo, percebo cada vez mais o sentido da frase. A minha lucidez racional consegue dar-me as coordenadas para um comportamento pautado de reservas em vez de entregas. vou a medo... com calma. Não entro no espaço do outro de forma invasiva.
Mas acima de tudo, quero ser sempre eu, e não aquilo que esperam que eu seja.

2 comments:

MBSilva said...

Orgulhosa por ser tua Amiga!!! ;)

Clau said...

Um passinho de cada vez, até à total plenitude. Chama-se a isso evoluir e, ser-se MULHER! =)

Blog Archive

papoilas e cerejas e chocolate e raios de sol da manhã